escoliose-projetoescoliose_logo

Hoje tivemos a feliz oportunidade de saber como o Projeto Escoliose vem alcançando importância no âmbito do tratamento conservador da escoliose idiopática.

O Dr. Fabio Zaina, médico cirurgião e especialista  no tratamento conservador da escoliose idiopática do adolescente  publicou  em seu site na Itália,  uma clara descrição e reconhecimento das atividades do Projeto Escoliose Brasil.

Queremos agradecer o incentivo que promove e nos motiva a continuar esta árdua tarefa que é implantar a conscientização do tratamento conservador da escoliose no Brasil.

Aqui o texto traduzido do site em italiano:

“Projeto Escoliose Brasil: Tratando a escoliose no Brasil.

O Projeto Escoliose nasceu da ideia e do esforço conjunto de três profissionais brasileiros com diferentes habilidades: Patrícia Italo Mentges, fisioterapeuta; a jornalista Julia Barroso, tratada cirurgicamente de sua escoliose e Hector Muñoz Catalan, administrador com larga experiência em gestão.

Juntos criaram um projeto que tem por objetivo elevar o nível de tratamento da escoliose no Brasil.

É um projeto ambicioso, pois as lacunas do tratamento conservador nesse país são muitas. Mas o entusiasmo, o desejo de melhorar e elevar o padrão de atendimento, sobretudo o desejo de estabelecer uma abordagem científica, está fazendo desse Projeto um marco nacional bem como um parceiro de projetos internacionais.

Além do site, o Projeto Escoliose também criou um blog, onde são relatadas as últimas informações sobre a escoliose e seu devido tratamento conservador, notícias internacionais, resultados de pesquisas e congressos.

O objetivo deste projeto é criar uma equipe multidisciplinar através de uma abordagem científica e eficaz para a escoliose idiopática, a fim de reduzir tanto o impacto dos estirões de crescimento, quanto o psicológico e o social desta doença que muitas vezes é insidiosa e debilitante.  Ajudar os pacientes jovens de uma forma competente, bem como estabelecer uma empatia é um desafio para todos os profissionais que lidam nesta área, mas a abordagem da equipe do Projeto Escoliose está, sem dúvida, de acordo com esses princípios. Esperamos que iniciativas semelhantes se espalhem pelo Brasil, um enorme país, quase um continente em que a necessidade de aumentar a qualidade da terapia seja fortemente sentida por médicos e fisioterapeutas.

A equipe do Projeto Escoliose tem participado nos últimos anos de cursos de tratamento com exercícios para a escoliose (SEAS) organizados pelo ISICO e em congressos como o SOSORT, entrando em contato com a realidade mais atualizada no campo internacional como parte do tratamento conservador da escoliose idiopática do adolescente.”

2 comentários em “O Projeto Escoliose e sua repercussão”

  1. Paulo Cesar Alves

    A escoliose na minha filha não é idiopática pois é de origem genética. Já afetadas na família estão a vó materna, a tia e a prima (filha desta mesma tia), sendo ela (hoje aos 12 anos) a quarta pessoa da mesma família. As outras 3 já usaram o colete. Essa fisioterapia especializada só se aplica a escoliose idiopática?

    1. Prezado Paulo Cesar, as escolioses idiopáticas têm um componente genético, já que grande parte delas apresentam histórico de presença na família. Então na verdade muitas vezes, não todas, é tida como hereditária. São classificadas como idiopáticas por não terem sido esclarecidas a(s) sua(s) causa(s).
      Se a escoliose da sua filha foi diagnosticada como genética, é porque ela é secundária ou faz parte de uma patologia, ou síndrome; qual é a patologia ou alteração encontrada além da escoliose?
      A abordagem especializada que adotamos foi desenvolvida para escoliose idiopática, ou seja, uma escoliose que apareça depois do nascimento não associada a nenhuma outra patologia, mas se aplica a outros tipos de escoliose desde que o acometido tenha idade, compreensão ou capacidade cognitiva de poder repetir as atividades propostas no tratamento.
      Para poder melhor ajudá-lo sugerimos visitar nosso site http://www.projetoescoliose.org na aba atendimento e preencher o formulário com os dados solicitados.
      Muito obrigado pela visita ao nosso blog
      Um abraço

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para cima